Doutora Mariana Maldonado

Espaço Mulher

Esse é um espaço feito para quem quer saber mais sobre saúde, relacionamento e intimidade. Os assuntos estão agrupados por temas para facilitar a sua procura. Aqui você estará sempre bem informado! Palavra de mulher!

Assinatura

Ponha seu email no campo abaixo para receber as novidades do site:

feed

Ou assine meu RSS!

Vaginismo

Publicado no dia 29 de março de 2010   Temas: Artigos, Sexualidade

O nome pode parecer estranho, mas para quem sofre com ele, pode ser um verdadeiro tormento…. Para quem não tem idéia do que isso significa, o Vaginismo é uma contração involuntária, tipo um reflexo que não dá para controlar, da musculatura vaginal que ocorre antes ou durante a tentativa de penetração do pênis. Dependendo da severidade do problema, essa contração pode ser tão intensa a ponto da mulher trancar tudo mesmo e não passar nem pensamento por ali, quanto mais um pênis…

Pelo que se sabe, o principal estímulo para disparar esta reação é o medo que a mulher tem da dor da penetração. Este medo pode ser real, principalmente se existe alguma causa como, por exemplo, uma infecção vaginal, alergias ou alterações na anatomia. Também pode estar relacionada, de forma consciente ou inconsciente, a lembranças de experiências sexuais passadas traumáticas, como ter sofrido um abuso ou até mesmo violência sexual. Educação sexual repressora, religiosidade extrema, falta de informação sobre o que é o ato sexual e de conhecimento do próprio corpo também pode causar medo e estresse na hora H, podendo levar ao vaginismo.

 Mesmo não conseguindo permitir a penetração vaginal, essas mulheres podem ter sim, uma relação sexual prazerosa. Muitas conseguem chegar ao orgasmo através de carícias e de sexo oral, sem haver penetração. Algumas podem até permitir a penetração do pênis, mas geralmente não conseguem ir até o final, pois sentem muita dor e aí todo o clima de romance vai por água abaixo! O problema é que na maior parte dos casos essa situação traz um imenso sofrimento tanto físico quanto psicológico para a mulher e o seu parceiro, pois cada tentativa mal sucedida traz mais frustração, virando uma verdadeira bola de neve!

 O tratamento do vaginismo começa com a identificação correta do problema. O objetivo principal é acabar com este espasmo reflexo, através de exercícios ensinados pelo terapeuta sexual que podem ser feitos somente com a mulher ou junto com o parceiro. O tratamento associado à psicoterapia é fundamental para alcançar os melhores resultados e a cura do problema.

O Vaginismo tem cura sim! E o mais é importante é saber que o tratamento e a cura são possíveis desde que haja força de vontade e o diagnóstico correto. Não existe fórmula mágica. O que precisa é querer mudar! Se você sofre deste tipo de dificuldade, não tenha vergonha de conversar com o ginecologista sobre o assunto e pedir um encaminhamento para o terapeuta sexual. A informação é um aliado poderoso para chegar a cura!

22 comentários

  • Marcia F.S.Salto disse:

    Interessante essa matéria eu não tinha conhecimento…mto bom…gostei..Parabéns!

  • Adriana disse:

    Gostei muito de saber a respeito desse problema. Parabéns!

  • Daniela disse:

    Olá, Dra!
    Que bom ver uma ginecologista falando sobre esse assunto! Já sofri com vaginismo (hoje estou curada) e passei por muitos ginecologistas que não tinham a mais leve idéia do que eu tinha e achavam que não era nada, que era besteira da minha parte, que era só relaxar… Pela ignorância deles, passei anos sofrendo com isso!
    Espero que daqui pra frente tenhamos cada vez mais médicos bem preparados e que, de alguma forma, os médicos antigos aprendam que o vaginismo existe e pode ser curado desde que adote-se o tratamento correto!
    Abs.

  • Eliana disse:

    Gostei de saber a respeito desse problema. Parabéns!

  • jocileide Santos disse:

    Gostei muito de saber sobre vaginismo. Não tinha o menor conhecimento, mas agora posso ajudar alguém que tenha vergonha a procurar um bom terapeuta sexual e quebrar esse tabú. Parabéns!

  • luciana bastos disse:

    Gostei de saber que existe este tipo de informação, pois estou passado por esse problema. Abri minhas idéias! Obrigada!

  • adriana disse:

    Não sabia que existia essa doença, muito esclarecedora a matéria. Parabéns!!!!

  • Luciana disse:

    Dra., compartilho do que a Daniela falou. Meu terapeuta concluiu hoje que tenho vaginismo, coisa que eu já desconfiava há muito tempo, em função do pavor que tenho à penatração, que impossibilitava relações sexuais e até mesmo exames ginecológicos. Já havia falado disso com meus ginecologistas, que sempre diziam que a causa era minha tensão na hora H e a falta de habilidade do parceiro nas preliminares, sempre minimizando o problema.

    Parabéns pelo artigo.

    Gostaria muito de conversar com outras mulheres que sofrem do mesmo problema.

  • sandra cristina ferreira santos disse:

    gostei muito de saber o que é isso ..

  • Djúli disse:

    Sou eu que quero agradecer por ter descoberto esse artigo, não fazia menor idéia que o vaginismo existia!!!Eu tenho 21anos, tive 3 namorados e nunca consegui ter uma relação bem feita por causa desse problema. Um medo que agora vejo que pode ser vaginismo… Quero ficar por dentro de tudo! Por favor procure publicar mais sobre o assunto. Vou recomendar as minhas amigas…

  • ROSEMERI DISSE: disse:

    Dra, adorei saber sobre vaginismo a senhora é 1000……

  • Jaqueline disse:

    Dra mariana, tenho certas duvidas e queria saber se você poderia me ajudar…tenho 17 anos e namoro há 4 meses. Resolvi perder minha virgindade com ele, mas na hora da penetração não vai de jeito nenhum … só entra o dedo! Eu queria saber se isso é um sintoma de vaginismo…li um pouco sobre isso
    e percebi que sinto muitas coisas em comum…obrigada!

  • luiz eduardo disse:

    O homem, para conhecer os problemas de sua mulher, tem que participar junto com ela. Assim jamais terá maus pensamentos sobre sua conduta. Hoje, depois dessas orientações, entendo o que se passa com a minha mulher. E eu que pensava que ela estava me evitando… Obrigado Dra Mariana.

  • Roberta disse:

    Eu infelizmente estou sofrendo deste problema, pois tenho o hímen complacente e por causa da dor agora passei a sofrer de vaginismo. Estou indo à um terapeuta em um hospital público que diz que isso é coisa da minha cabeça. Estou desesperada pois já não sei mais o que fazer. Me sinto anormal, minha auto estima está no chão e não posso me relacionar c/ninguém.Quero ter contato c/ mulheres que sofram ou tenham sofrido disso. Não tenho ninguém p/ conversar.

  • Dra. Mariana Maldonado disse:

    Roberta,
    Sei que a situação parece ser muito difícil, mas tem jeito. Além de trocar experiências com mulheres que tenham o problema ou alcançado a cura, você precisa iniciar o seu tratamento e isso só mesmo um profissional especializado na área é capaz de fazer, ok?

  • Dra. Mariana Maldonado disse:

    Até pode ser, Jaqueline, mas para ter esse diagnóstico só mesmo consultando um especialista na área. Converse primeiro com seu ginecologista, ok?

  • Sumara disse:

    Não conhecia esse problema…Obrigada pelas informações! Muito bom!!!

  • chris disse:

    interessante … não sabia disso! adorei saber!

  • Debora disse:

    Olá Drª, sou mais uma das mulheres que tem dificuldades com o sexo, em especial, com a penetração. Tive diagnostico verbal e superficial de vaginismo, cheguei até fazer terapia, no entanto, meu problema ainda não foi resolvido. Faz algum tempo que procuro um profissional que realmente possa me ajudar!!! Tinha até me conformado. Agora que encontrei acredito que vou viver dias melhores.

  • Maria disse:

    Sofro disso e sei que pode haver cura, basta querer e ter força de vontade!!
    Eu creio que um dia estarei declarando que fui curada!! sei que Deus está vendo o meu sofrimento, irei me esforçar e ele irá me ajudar!!!

  • Dra. Mariana Maldonado disse:

    Oi Debora,
    O tratamento do vaginismo tem que ser feito por um terapeuta sexual, médico ou psicólogo. Não adianta só fazer terapia, se o profissional não for da área. Para ver melhora, você também tem que mudar em muita coisa, fazer os exercícios com regularidade e cumprir todas as tarefas dadas a você. Só mesmo com a orientação correta e uma mudança da forma de agir será possível encontrar o caminho, ok?

  • Dra. Mariana Maldonado disse:

    Oi Maria,
    Esse situação é mesmo muito ruim para quem sofre do problema…mas para ficar curada não adianta ter só força de vontade. Vc precisa de um tratamento sério feito por um especialista no assunto - um terapeuta sexual - para te ajudar, ok? Boa sorte!

Deixe seu Comentário!

Comentário

design: Hungry Mind