Dra. Mariana Maldonado - Ginecologia, Homeopatia, Terapia Sexual

Sexualidade Pós Parto: porque o tesão diminui? O que realmente muda?

Nem sempre é fácil retomar a vida sexual depois do nascimento de um filho. O que fazer quando papai e mamãe roubam a cena?

 

Dra, tenho uma filha de 10 meses que ainda amamento e desde que ela nasceu o tesão sumiu e o meu marido está reclamando demais. Eu não quero me separar, amo meu marido mas não sei o que fazer para voltar a ser o que era antes! O que posso fazer?

É minha amiga…essa fase depois do nascimento de um filho pode ser bem complicada para a relação do casal, afinal a vida já não é mais a dois! Pode ser a três, a quatro e quantos filhos mais você tiver! 

O nascimento do primeiro filho pode ser um momento de crise dentro do relacionamento, afinal são muitas mudanças a encarar:

  • a nova rotina com um recém-nascido, que precisa de cuidados e que depende da mãe para sobreviver.

  • as alterações hormonais que o corpo da mulher sofre durante a gravidez e nos primeiros meses após o parto;

  • a amamentação

  • as atividades domésticas

  • a falta de sono e o cansaço físico

Aaahh…é muita coisa junta!

A última coisa que a mulher vai pensar nesse momento é transar! No tempo livre, ela quer mesmo é descansar e poder dormir!

E o tempo passa, a criança cresce e vida se ajeita. Para muitos casais, essa fase de “entre safra” de sexo é passageira e a harmonia volta a reinar em outras bases, afinal a família cresceu. Mas… e quando isso não acontece? E quando a estiagem sexual chega e fica difícil ir embora?

Bom… aí que o problema começa: o marido reclama que perdeu a mulher, que ela agora só tem tempo para a criança e a mulher se sente triste e culpada por estar assim, tão envolvida com a criança e pouco receptiva ao seu companheiro, mesmo ainda gostando muito dele.

Por outro lado, fica chateada por achar que como pai, ele deveria entender melhor esse momento e ajudá-la mais nas tarefas domésticas e nos cuidados com o filho, ao invés de ficar reclamando da falta de sexo. Resultado: quanto mais cobrança, menos desejo e mais crise! Vira uma bola de neve!

Existem muitos motivos para que uma crise sexual se instale no casamento durante o período de pós-parto:

No período de pós parto, principalmente nos 6 primeiros meses quando a mulher amamenta de forma exclusiva é comum ficar sem menstruar e sentir a vagina ressecada, por vezes ardida e dolorida no início da penetração mesmo que esteja excitada, o que pode dificultar na hora da transa e diminuir o desejo sexual ao longo do tempo.  Isso acontece pela ação do hormônio prolactina, que estimula a produção do leite mas por outro lado é inimigo do estrogênio – hormônio muito importante para o manter a mucosa vaginal fortalecida e preparada para a relação sexual!

Lubrificantes íntimos a base de água, hidratantes vaginais e tratamentos hormonais locais podem ajudar, mas é fundamental falar imediatamente com o Ginecologista sobre o assunto!

O fato é que com dor a mulher tem menos vontade ainda de transar. Afinal, como querer começar algo que você sabe que não será gostoso? Ao contrário, vai provocar dor? Não dá, né?

      • Medo de reiniciar a vida sexual por não saber exatamente quanto deve durar o período de resguardo

Esse é um outro fator que pode contribuir para uma crise sexual no casamento: o medo de reiniciá-la. E esse medo pode pertencer tanto a mulher quanto ao homem ou aos dois. É isso mesmo! Nem todo mundo sabe quanto tempo deve durar um resguardo. Você aí, sabe?

De uma forma geral, o ideal é não ter relações sexuais com penetração vaginal durante o primeiro mês após o parto cesárea e também pós parto normal se houver episiotomia  (corte que é feito na entrada da vagina para auxiliar na saída do bebê).  Esse período é muito importante para a perfeita cicatrização pontos e evitar infecções.

No pós parto sem episiotomia, o resguardo pode ser menor mas a mulher normalmente fica tão cansada com todas as outras demandas do seu bebê recém nascido, que acaba nem pensado em sexo!

Sabendo disso, fica mais fácil perder o medo de achar que algo vai acontecer se você se aventurar sexualmente! Até porque sexo não se resume somente a penetração vaginal e as outras práticas estão liberadas!

      • Pare, pense e faça uma autocrítica, guardando as devidas proporções: o quanto o lado mamãe está maior do que o lado mulher?

Sim, porque se você gosta do seu marido e quer continuar casada é bom deixar que o lado mulher volte a cena!

Até porque isso também fará bem a você mesma! Quando me refiro ao lado mulher, não falo somente do lado fêmea, do lado sexual. Falo também de auto cuidado: voltar a ter um tempo para ir ao salão de beleza fazer o cabelo e as unhas, ir ao médico cuidar da saúde, voltar à academia, cuidar o visual… enfim: voltar a ser você e não somente mãe!

Pode não parecer muito fácil, mas é preciso rearrumar a rotina que se instalou depois do nascimento do bebê, para que o seu lado mulher, aí sim, a mulher sexual possa reaparecer: deixar o filho com alguém de confiança e ter um tempo a sós com o seu marido pode ser um bom começo.

Nem que seja por algumas horas! 

É, porque essa história de dar “uma rapidinha” enquanto a criança está dormindo no quarto ao lado nem sempre vai funcionar. Lembre que para a mulher se sentir estimulada, excitada e receptiva para o sexo é preciso estar relaxada… e como relaxar se você fica preocupada com o seu filho acordar no meio da noite e entrar no seu quarto de repente?

Mudar o ambiente também pode ser uma boa – ir a um restaurante romântico, um motel…lembra do que vocês gostavam de fazer a sós antes da chegada do bebê? Então, que tal repetir a programação?

Surpreender! O fator surpresa é muito legal. Peça ao seu marido para te fazer uma surpresa boa, que te desperte e resgate a vontade de estar junto dele como homem e mulher.

A reconstrução da harmonia sexual do casal é uma tarefa das duas partes! Papai e mamãe devem sair um pouco da cena para que o homem e a mulher possam reaparecer! É preciso agir!

E se precisar de uma ajuda nesse processo conte com o terapeuta sexual! Fica a dica!

Fique ligada, pois toda quarta-feira terá um vídeo novo aqui no site e em meu canal do youtube. <- assina aqui.

Mariana Maldonado
Mariana Maldonado é médica especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Sexologia Clinica, além de Pós Graduada em Homeopatia e com Certificado de Atuação na Área de Sexologia em Ginecologia e Obstetricia pela FEBRASGO. Dedica sua carreira à ajudar mulheres de todas as idades nos cuidados com a saúde nas diferentes etapas da vida!

Outros artigos sobre Sexualidade

Palavra de mulher

Este livro surgiu do amor entre mãe e filha que compartilham alegrias e tristezas do cotidiano. Os 43 capítulos apresentam depoimentos que sintetizam as vozes de muitas mulheres ouvidas nos consultórios, nos trabalhos de grupo e nas palestras realizadas por Maria Tereza (psicóloga) e Mariana (médica ginecologista), junto com comentários e informações sobre os temas abordados.Saiba mais.

Marque uma consulta

Para marcar uma consulta, ligue para 21 2287-2311 / 3681-3040 / 99896-2554 ou preencha os campos abaixo. Em breve, entraremos em contato para confirmar a disponibilidade do dia e horário desejados.

Obrigatório

Obrigatório Email inválido

Telefone obrigatório Telefone inválido

Endereço

Av. N. S Copacabana 1072 sala 705, Copacabana
Rio de Janeiro - RJ
CEP 22060-002

Telefone

21 2287-2311 | 3681-3040 | 99896-2554

Email

dra.mariana@marianamaldonado.com.br