Dra. Mariana Maldonado - Ginecologia, Homeopatia, Terapia Sexual

Gravidez na Adolescência

Gravidez na adolescência: mesmo com a diminuição das taxas, ainda há um longo caminho a percorrer...o que fazer para se proteger?

Dados recentemente publicados pelo Ministério da Saúde merecem destaque: o número de partos realizados na rede pública de saúde em adolescentes brasileiras de 10 a 19 anos diminuiu 30% na última década. No sul, sudeste e centro oeste essa redução ultrapassou 35%. De acordo com o Ministério, essa queda nas taxas de gravidez na adolescência no Brasil deve-se principalmente, ao acesso as políticas de prevenção e orientação sexual.  É bem verdade que essa redução acompanha uma tendência mundial que é a diminuição da taxa geral de nascimentos por mulher, mas ainda assim temos um longo caminho a percorrer quando se trata de adolescentes.

Do meu ponto de vista, não exatamente é o início da vida sexual o que mais preocupa a maioria dos pais que tem filhos adolescentes, mas que tipo de conseqüências isso pode trazer,  principalmente quando o adolescente ainda não tem plena consciência da responsabilidade sobre os seus atos e seu corpo: gravidez indesejada, doenças sexualmente transmissíveis, abortamentos inseguros colocando em risco a vida das adolescentes…Fatos tristemente reais que apavoram os pais, só de pensar que podem acontecer com seus filhos!

Dizer que a gravidez na adolescência é sempre um problema não é verdade…cada caso é diferente e não se pode generalizar. Tem moças que, por vontade própria, casam cedo e logo querem constituir suas famílias, por exemplo. O que eu quero destacar aqui é a gravidez que acontece na adolescência de forma não planejada e indesejada, quando  a jovem tem outros objetivos na vida que não o de ser mãe naquele momento. Por isso, ai vai um recadinho especial para todos os meninos e meninas e também para os seus pais!

Pensamentos como  “isso não vai acontecer comigo” típicos da adolescência não tem efeito se você REALMENTE não se proteger! Rezar forte para isso não adianta! O certo é o rapaz usar a camisinha e a moça buscar orientação com o médico ginecologista para saber o que pode usar para se proteger antes de começar a vida sexual! Não dá para sair por ai usando pílula por conta própria sem saber como ou se pode ou não usar! Por essas e outras a camisinha é um método tão indicado não só para os adolescentes,  mas para todas as pessoas sexualmente ativas: quando usada corretamente protege ao mesmo tempo da gravidez e das DST!

Rapazes atenção! Se vocês pensam que é a responsabilidade de evitar a gravidez é só da mulher estão muito enganados!! A responsabilidade é dos dois!! Afinal, filho não se faz sozinho, não é mesmo?  Nessa situação não dá para “confiar” só na proteção do outro. Nesse ponto, os pais têm uma grande responsabilidade: a de educar e ensinar seus filhos a se cuidar!

E não é só isso: mães adolescentes tendem a abandonar mais cedo os estudos, tendem a freqüentar menos o pré natal, podem ter mais complicações durante a gravidez – como a hipertensão –  e parto, além de um risco maior de partos prematuros e bebês com baixo peso ao nascer.

Por isso, lembrem-se:  gravidez é coisa séria! Os filhos são fortunas em nossas vidas, mas tudo tem hora e o momento para acontecer. Ter responsabilidade e a orientação adequada pode evitar muita dor de cabeça!

Mariana Maldonado
Mariana Maldonado é médica especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Sexologia Clinica, além de Pós Graduada em Homeopatia e com Certificado de Atuação na Área de Sexologia em Ginecologia e Obstetricia pela FEBRASGO. Dedica sua carreira à ajudar mulheres de todas as idades nos cuidados com a saúde nas diferentes etapas da vida!
  • Maria Aparecida Evangelista dos Santos

    Adorei o artigo, vai ser muito util para mim, pois estou fazendo um trabalho com adolecentes. Sou Agente Comunitário de Saúde.
    Abraços.

  • mayna

    Eu gostei da noticia porque trabalho muito com isso!

  • vamessa

    Fui mãe aos quinze anos e para mim não foi traumático, lembro das pessoas me falando que eu havia perdido a juventude, que a minha vida havia acabado…é claro que algumas etapas tive que pular para dar atenção ao meu bebê que sempre foi cuidado por mim, mas nada que eu não superasse e que não fosse passageiro…a verdade é uma só: cada caso é um caso, claro que uma gravidez planejada é muito melhor, mas engravidar fora de hora não é o fim e pode ser uma experiência enriquecedora. Hoje meu filho tem 17 anos e eu 32. Ele é meu melhor amigo!

  • Camila

    Gostei muito do site! Estava precisando de informações para um trabalho na escola. Ajudou muitão mesmo! Obrigada! Continue assim com esse sucesso e ajudando a muitas meninas por aí! Beijos

  • oii

    Gostei!

  • Danny

    É isso ai o Brasil tem que evoluir!!!
    E o melhor jeito de se evoluir é evoluir a mente de nós adolescentes
    abraços!!!

Outros artigos sobre Gravidez

Palavra de mulher

Este livro surgiu do amor entre mãe e filha que compartilham alegrias e tristezas do cotidiano. Os 43 capítulos apresentam depoimentos que sintetizam as vozes de muitas mulheres ouvidas nos consultórios, nos trabalhos de grupo e nas palestras realizadas por Maria Tereza (psicóloga) e Mariana (médica ginecologista), junto com comentários e informações sobre os temas abordados.Saiba mais.

Marque uma consulta

Para marcar uma consulta, ligue para 21 2287-2311 / 3681-3040 / 99896-2554 ou preencha os campos abaixo. Em breve, entraremos em contato para confirmar a disponibilidade do dia e horário desejados.

Obrigatório

Obrigatório Email inválido

Telefone obrigatório Telefone inválido

Endereço

Av. N. S Copacabana 1072 sala 705, Copacabana
Rio de Janeiro - RJ
CEP 22060-002

Telefone

21 2287-2311 | 3681-3040 | 99896-2554

Email

dra.mariana@marianamaldonado.com.br