fbpx

Blog

É Normal Sentir Dor na Relação Sexual?

Sabe como isso pode afetar a sua vida?

Faça agora o download do meu e-book: “Liberte-se da dor na Relação Sexual”

Download ebook: https://chavemestra.marianamaldonado.com.br/ebook-dor-relacao-sexual

 

E se quiser, faz o teste agora para saber se você sofre com Vaginismo? O link está bem aqui embaixo!

 

https://chavemestra.marianamaldonado.com.br/teste_vaginismo

 

“Dra, sempre que a penetração vaginal começa eu sinto dor. Às vezes é rápida, passa logo depois que entra, mas às vezes não. A verdade é que ela está sempre lá, presente. E isso acontece desde a minha primeira relação sexual. Eu nunca consegui ter uma relação sem dor.  É normal?”

 

Alguém aí se viu nessa situação?

 

É Normal Sentir Dor na Relação Sexual?

 

Pois preste bem atenção no que vou dizer agora, porque é muito importante.

Dor na relação sexual NÃO é normal, em nenhum nível.

Pode ser uma dor rápida que passe logo depois que entra, mais moderada a ponto de dificultar o ato e você ter que parar no meio ou então intensa ao ponto de nem conseguir começar.

 

Se você sofre com esse problema e nunca na vida conseguiu experimentar um ato sexual sem dor, já consultou o Ginecologista e não tem nada de diferente por lá que justifique sentir isso, nenhuma dessas 3 situações pode ser considerada normal.

 

Vou repetir: um mulheres fisicamente saudáveis não é normal e nem natural sentir qualquer tipo de dor, desconforto ou qualquer outro incômodo constante e persistente na hora de iniciar a penetração vaginal, seja com 1 dedo, 2 dedos, absorvente interno, vibrador ou pênis PP, P, M, G, GG, Master Plus, Negão.

 

Não importa qual o tamanho nem calibre, não é normal sentir essa dor. Mesmo que você fique muito tempo “na seca” sem ter nada com ninguém.

 

É Normal Sentir Dor na Relação Sexual?

 

Dor e prazer são como água e azeite, não se misturam e estão em extremos opostos. Só os masoquistas conseguem sentir prazer na dor, mas essa não é a realidade da grande maioria e muito provavelmente também não será a sua!

 

Se você se identificou com tudo o que leu até agora, então está mais do que na hora de buscar ajuda especializada da Terapia Sexual, feita por um Sexólogo médico ou psicólogo formados na área, pois você pode sofrer com Vaginismo Primário Psicológico mesmo sem saber!

 

Outros profissionais como fisioterapeutas também podem ajudar no tratamento, mas só médicos e psicólogos com especialização no tema, terão o conhecimento teórico e as habilidades necessárias para fazer esse modelo de Terapia.

 

Eu tenho alguns vídeos e textos feitos sobre esse assunto, vale a pena você conferir depois que terminar esse aqui, mas só para relembrar:

 

Vaginismo é a contração involuntária da musculatura pélvica feita de forma persistente e sistemática sempre que existe uma tentativa de penetração vaginal.

 

 

É primário quando acompanha a mulher desde a sua primeira vez e psicológico pois não existe nenhum problema físico capaz de provocar essa dor.

 

É como se o corpo se defendesse daquela “ameaça” que vai acabar provocando dor. É o medo antecipado da dor que ela imagina que irá sentir que dispara o reflexo e provoca a contração. Como qualquer reflexo, isso acontece de forma automática, a mulher não tem o menor controle.

 

E esse é o grande dilema da situação: mesmo desejando ter aquela relação e querendo ser penetrada ela não consegue relaxar e “trava”. E na hora que ela vai tentar a penetração assim toda contraída, de fato sentirá dor e isso reforça o pensamento de que o ato é doloroso.

 

E assim forma-se um ciclo vicioso e muito frustante.

 

A mulher então procura o Ginecologista em busca de uma solução para o problema. O médico examina e… Diz que não tem nada de errado por lá, que está tudo normal! Que ela precisa relaxar e com a experiência isso tudo vai passar.  Só que não passa e pior, com o tempo se agrava.

 

E sabe por quê? Porque ao longo do tempo, essa dor que está sempre presente ainda que seja breve, pode trazer outras consequências pra você.

 

Vou explicar melhor: ao longo desses meus quase 20 anos como Ginecologista e Sexóloga, tratando de mulheres que sofrem com Vaginismo eu posso afirmar que essa pode ser a razão, a raiz de muitas outras queixas e problemas sexuais como a baixa ou ausência de desejo sexual e dificuldades com o orgasmo, seja sozinha ou com outra pessoa, sabia?

 

É verdade que para quem sofre com Vaginismo no nível mais moderado ou severo, logo percebe a necessidade de buscar ajuda.

 

Mas aquelas que sentem uma dor mais leve, que passa logo depois que entra, quase nunca imaginam que esse possa ser o fio da meada!

 

O repertório sexual fica pobre e limitado. Para conseguir ter penetração mais confortável (porém nunca com “zero” dor), precisa de longas preliminares com a manipulação do clitóris, achar uma determinada posição, além de usar muito, mas muito lubrificante.

 

Nunca é algo normal, natural e espontâneo. Uma rapidinha, nem pensar! Haja clima e preparação!

 

E aí, com o passar do tempo todas as outras fases da nossa resposta sexual começam a enguiçar.

 

O tesão, o desejo sexual, aquela vontade de começar o ato e também reagir quando recebe um carinho gostoso vai diminuindo.

 

O orgasmo que antes acontecia facilmente agora demora e às vezes nem acontece…

 

Afinal, por que você terá vontade de começar algo que sabe que não será tão legal? Bate uma preguiça…

 

Por isso meninas é que eu sempre digo: fiquem atentas aos sinais do seu corpo. Com a ajuda profissional certa você pode acabar com o problema pela raiz, evitar que outros apareçam e ter uma vida sexual plena, feliz e livre de limitações! Podem acreditar!

E se você quiser dar o primeiro passo rumo a sua jornada de libertação e transformação, é só baixar agora o meu e-book – LIBERTE-SE DA DOR NA RELAÇÃO SEXUAL – A cura do Vaginismo ao alcance da sua mão!

Download ebook: https://chavemestra.marianamaldonado.com.br/ebook-dor-relacao-sexual

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email
WhatsApp chat