Doenças sexualmente transmissíveis

As DSTs são um dos maiores problemas em saúde pública no mundo, mesmo depois da camisinha e das inúmeras campanhas de prevenção. O que são elas e como podemos nos prevenir?

As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são doenças que podem ser transmitidas de uma pessoa para outra através da relação sexual (vaginal, oral ou anal) sem proteção com alguém que esteja contaminado. Algumas são exclusivamente transmitidas pelo sexo, como é o caso do trichomonas vaginalis, da gonorréia e da clamídia. Outras como a sífilis, a hepatite e a AIDS, também podem ser transmitidas através de sangue contaminado e para o bebê, durante a gravidez.

O número de pessoas contaminadas com DST é alarmante. Dados da Organização Mundial de Saúde indicam que a cada ano ocorrem, aproximadamente, 333 milhões de casos novos de DST curáveis no mundo todo, em pessoas entre 15 e 49 anos. Deste total, 12 milhões são casos novos de sífilis, 62 milhões de gonorréia, 82 milhões casos de clamídia e 170 milhões de casos novos de tricomoníase. Sem falar no HPV (Papiloma Vírus Humano), que pode estar presente em até 70% das mulheres sexualmente ativas e no herpes genital, considerada a DST viral mais comum nos Estados Unidos.

Quais são os sintomas que uma pessoa contaminada por uma DST pode apresentar? Corrimento com mau cheiro, coceira, dor e ardência ao urinar ou na hora da transa, verrugas nos genitais, sangramento vaginal depois da relação, bolhas no pênis e na vagina podem ser sinais. Mas, nem sempre é assim. Muitas pessoas que têm uma DST podem não sentir absolutamente nada ou ter sintomas inespecíficos, dificultando o diagnóstico e o tratamento, além de continuar contaminando seus/as parceiros/as. A AIDS é um bom exemplo disto: no início da infecção dificilmente a pessoa apresenta sintomas e só descobre que tem o vírus através do exame anti-HIV.

É importante lembrar que uma DST não diagnosticada e tratada a tempo pode trazer conseqüências graves, desde sérios e irreversíveis danos à saúde até mesmo a morte. Hoje, sabe-se que as DST são o principal facilitador para a transmissão sexual do vírus da AIDS, ou seja, uma verdadeira “porta de entrada” para a única DST que ainda não tem cura e que é mortal. Além disso, também podem ser causa de aborto espontâneo e mal-formação nos bebês. Isto sem falar no grande impacto social e psicológico que causa em seus/as portadores/as.

Chegamos a uma questão fundamental: se a maior parte das pessoas não sente nada e mesmo assim pode ter uma DST, então o que fazer? Em primeiro lugar, não tome medicações por conta própria. Na presença de qualquer sintoma, é melhor procurar um/a médico/a; converse com seus/as parceiros/as para que eles/as também procurem. Só assim será possível interromper a transmissão; não transe enquanto estiver em tratamento e use sempre a camisinha (masculina ou feminina) em todas as relações sexuais. Este é a forma de proteção mais efetiva contra todas as DST, inclusive a AIDS.

Compartilhe este artigo

26 respostas para “Doenças sexualmente transmissíveis”

  1. Se a pessoa tiver uma ferida dentro da boca pode passar sim, Ricardo. Por isso, o uso da camisinha até no sexo oral é importante, ok?

  2. Oi Priscilla,
    A Gardnerella é uma bactéria que vive naturalmente na vagina da mulher, por isso, ela não se “pega”. A relação sexual sem camisinha pode facilitar a proliferação delas, ao desequilibrar o PH vaginal. Por isso algumas mulheres podem sofrer com as crises de repetição e às vezes o parceiro tb precisa ser tratado, por ser considerado um portador, ok?

  3. Não Rafaela,
    O cancro mole é uma doença de transmissão sexual. Não se pega em banheiros, vasos sanitários ou piscinas. É através da relação sexual com alguém contaminado, ok?

  4. Se o tratamento foi feito corretamente a cura é certa, Cintia. Se você ou o seu namorado tiverem relações com outras pessoas sem preservativo, poderão se contaminar novamente e aí passar um para o outro. Por isso, é fundamental o uso da camisinha, mesmo entre os parceiros fixos, ok?

  5. Olá Doutora! É possível que meu namorado tenho pego cancro mole em banheiros sujos, privadas ou algum outro lugar sem ser em relações sexuais e ter passado para mim?

  6. Bom dia!
    Peguei Trichomonas do meu namorado e nos tratamos. Ocorre que ele não ficou bom porque após um período utilizando preservativo, voltei a me contagiar. Tratei-me novamente e ele também, mas como poderemos ter certeza de que dessa vez ele se curou?
    Parabéns pelo trabalho e obrigada!

  7. Olá Rosy,
    Colpite bacteriana é a inflamação vaginal provocada por bactérias, que podem ser sexualmente trasmissíveis ou não. Portanto, vc não necessariamente “pega” uma colpite bacteriana. Isso vai depender de que bactéria está se falando, ok?

  8. Olá Alessandra,
    O Trichomonas Vaginalis é uma doença que só se transmite através da relação sexual sem a proteção da camisinha. Não se pega Trichomonas em banheiros, piscinas, usando toalhas, etc. Se você tem contato íntimo com uma única pessoa foi dela que vc pegou, ok?

  9. Fiz um exame de urina e constatou que estou com trichomas vaginalis. Como posso ter pego? Tenho somente um parceiro. É possível pegar de outra forma, tipo banheiros sujos, etc?

  10. Olá Dra! Parabéns pelo site e graças ao seu trabalho tiramos nossas dúvidas. É claro que só indo ao médico resolveremos os nossos problemas de saúde, mas pelo menos ficamos mais tranquilas com as suas explicações. Obrigada!

  11. Erika,
    O cancro mole é uma doença somente de transmissão sexual. Não dá para pegar de outra forma. O sexo oral também pode passar, ok?

  12. Existe a possibilidade de contágio pelo cancro mole na mulher através do sexo oral mesmo se o parceiro nunca tiver manifestado nenhuma ferida? Se não for pelo contato sexual é possível se contaminar de alguma outra maneira?

  13. Olá Paula,
    Normalmente o diagnóstico de gonorréia é feito através do exame clinico, ou seja, o médico examina e vê que a pessoa está com a doença. Não é necessário pedir exames, uma vez que eles são difíceis de fazer…o grande problema é que na mulher a gonorréia costuma dar menos sintomas do que no homem e aí fica mais difícil saber que tem, ok?

  14. Olá! Gostaria de saber se uma pessoa que está com gonorréia fica sabendo através do exame de preventivo. É possível o homem ter gonorréia e a mulher não? Qual o exame para saber se está com a doença?

  15. Olá Maira,
    A infecção pela clamidea pode evoluir rapidamente sim, mas o mais importante é saber se esse é mesmo o seu problema. Ela não constuma dar vermelhidão na vagina e sim inflamação no colo do útero. Se estiver em dúvida, procure uma segunda opinião pessoalmente, ok?

  16. Olá!!

    Gostaria de esclarecer uma dúvida. Percebi uma vermelhidão na vagina e fui a minha ginecologista ela me disse que era Clamídia e me receitou uma pomada e um antibiotico e pediu para que uns 15 dias após o tratamento eu fizesse a colposcopia e a colpocitologia. Após o tratamento a vermelhidão não desapareceu e eu voltei a ginecologista, ela pediu para que eu faça os exames o mais rápido possivel, mas eu fiquei menstruada e vou ter que esperar mais uma semana para fazer….estou com medo que essa dessa demora possa causar a infertilidade ou outros problemas….é possivel que a inflamação evolua muito em 1 mê?! E se o tratamento é correto pq ainda não percebi nenhuma melhora?!

    Obrigada

  17. Olá Stefani,
    A infecção pela clamidia pode causar infertilidade tanto no homem quanto na mulher, por isso o diagnóstico precoce e o tratamento correto são tão importantes. A infertilidade é uma sequela de uma infecção não tratada ou tratada da forma errada, ok?

  18. Olá!

    Gostaria de saber se a Clamídia, quando não tratada de imediato, pode causar infertilidade tanto no homem quanto na mulher. Já li a respeito mas me surgiu a dúvida, se ao constatar a bactéria, a mulher ou o homem já podem se considerar a impossibilidade de ter filhos ou isso pode variar em função de tempo, de pessoa pra pessoa, enfim..

    Grata pela atenção!

  19. Oi, Edmea
    Colpite bacteriana é a inflamação da vagina provocada por bactérias que podem ser nossas ou não. Quando essa inflamação é causada por nossas próprias bactérias nem sempre vai precisar de tratamento, mas isso é o médico que avalia. Se vc não está segura com o tratamento proposto, sugiro que procure pessoalmente uma segunda opinião, ok?

  20. O meu preventivo mostrou que estou com colpite bacteriana. O que quer dizer e qual o tratamento, pois já tomei vários medicamentos e estou do mesmo jeito…obrigada!

  21. Olá Silvana,
    A gardnerella é uma bactéria que faz parte da flora vaginal de todas as mulheres. Quando ela ataca pode dar um odorzinho desagradável na secreção, principalmente após a menstruação a da relação sexual. O tratamento é bem simples, com antibióticos, mas só o médico pode prescrever, ok?

  22. Boa tarde, Dra. Fiz o preventivo e o resultado deu gardnerella vaginalis, mas ainda vai demorar um pouco pra eu voltar ao médico. A sra pode me explicar o que é isso? Qual o tratamento? obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Recentes

WhatsApp chat