HPV tem cura?

O que é o vírus HPV, principal causador do câncer de colo e que agora tem vacina! Será que tem cura?

Você conhece o vírus HPV?

Esta é a sigla em inglês de papiloma vírus humano, conhecido como causador das verrugas genitais e principalmente, do câncer de colo de útero, pênis, intestino e garganta.

Sua principal forma de transmissão é a relação sexual sem proteção com a pessoa contaminada, sendo considerada a infecção viral sexualmente transmissível mais freqüente no mundo todo.

Estima-se que até 70% das mulheres sexualmente ativas serão infectadas pelo HPV em algum momento de suas vidas. O vírus é responsável por cerca de 500 mil casos de câncer de colo de útero em todo o mundo.

No Brasil, o câncer de colo de útero ainda é uma das principais causas de morte entre as mulheres, principalmente na região Norte e Nordeste.

Até agora, foram descobertos mais de 150 subtipos diferentes capazes de infectar os seres humanos, identificados por números (subtipo 6, 11, 16, 18, 31, 34 e etc) e divididos em 2 grupos: os mais agressivos, com maior potencial para o desenvolvimento do câncer (os tipos mais freqüentes deste grupo são o HPV 16 e 18) e os de maior potencial para causar lesões benignas, como as verrugas genitais (tipos 6 e 11), principalmente, na região genital e anal de homens e mulheres.

É importante ressaltar que a presença de qualquer uma destas lesões aumenta o risco de contaminação pelo HIV.

O período de incubação do vírus (o tempo que leva entre a infecção e o aparecimento da lesão) permanece indeterminado, podendo durar meses ou até anos.

É perfeitamente possível desenvolver uma lesão atual mesmo que a contaminação tenha sido há muitos anos.

Portanto, fica praticamente impossível determinar quem é o responsável pela contaminação do/a parceiro/a ou a época exata da contaminação. Esta informação é fundamental, pois o HPV tem sido motivo de discórdia e desconfiança entre muitos casais.

Nos últimos anos, muito tem sido falado sobre o HPV e o risco de câncer. Não existem dúvidas que o HPV está presente em 100% dos casos de câncer de colo de útero e que também está relacionado ao câncer de pênis, garganta e intestino.

Entretanto, o fato de estar contaminado pelo vírus não significa necessariamente que o câncer se desenvolverá.

A realidade é que menos de 3% das mulheres contaminadas desenvolve o câncer de colo útero.

É possível ficar curada do HPV?

 

É sim! Na maioria das vezes, em 80 a 90% dos casos a infecção é transitória e o corpo saudável desenvolve mecanismos de defesa contra o vírus (os anticorpos) eliminando-o completamente do organismo em aproximadamente um a dois anos após a infecção.

Todos os tratamentos disponíveis até o momento são direcionados para a remoção das lesões produzidas pelo vírus ou para reforçar o sistema imunológico da pessoa contaminada.

Ainda não existe um tratamento específico para eliminar o HPV do corpo.

A arma mais nova nessa briga é a vacina contra o HPV capaz de evitar a contaminação pelos subtipos mais freqüentes (6, 11, 16 e 18) em até 90% dos casos.

No Brasil, são comercializados 2 tipos de vacina: a tetravalente (protege dos HPV 6,11,16 e 18) e a bivalente (16,18). Em breve está prevista a chegada de uma nova vacina – a nonavalente – que protege contra 9 tipos do vírus (16,18,31,33,45,52 e 58).

A forma mais barata e eficaz de detectar a presença do HPV ainda é a realização do exame preventivo, o chamado papanicolaou, que consegue identificar precocemente as suas alterações.

Técnicas de hibridização molecular para a detecção direta do vírus também podem ajudar muito e em alguns casos selecionados, a colposcopia!

Mulheres sexualmente ativas a partir dos 21 anos de idade devem fazer seu exame preventivo regularmente em busca de possíveis alterações provocadas pelo vírus.

E lembre-se: use sempre a camisinha em todas as relações sexuais!

Compartilhe este artigo

39 respostas para “HPV tem cura?”

  1. Passa sim Karoline,
    O HPV é transmitido através do contato direto com a lesão. Se a pessoa que estiver recebendo o sexo oral tiver HPV ele pode passar para quem está fazendo e vice-versa, ok?

  2. Olá Ana,
    A NIC 2 é uma das lesões que o HPV pode causar no colo do útero. Em escala de gravidade, essa é uma lesão moderada, portanto precisa ser retirada. Medicamentos locais e orais que estimulem a imunidade tem valor limitado nesses casos. Nessa situação é melhor retirar a área com problema e tratar depois para evitar que ela volte, ok?

  3. Olá Drª.
    Gostaria de saber mais sobre NIC 2, remédios para aumentar a imunidade e se o uso de medicamento local ajuda no tratamento sem haver necessidade de cirurgias? Grata pelas informações.

  4. Olá Joana,
    NIC é a sigla para Neoplasia Intraepitelial Cervical. Ela é um exemplo das inúmeras alterações que o HPV pode causar no corpo da mulher, no caso específico das NIC, alterações no colo do útero. O HPV também pode provocar alterações em outros locais como a vagina (VAIN), vulva (NIV), reto ou intestino. A melhor forma de prevenir é usando mesmo a camisinha em todas as relações sexuais, ok?

  5. Essa é uma das razões, Daniele, mas elas também podem reaparecer se você for novamente contaminada por outro tipo dele, ok?

  6. Realmente vc tem todos os motivos para ficar desesperada com uma informação ABSURDA dessas Elvira! Dizer que o que te resta é esperar o desenvolvimento de uma câncer é DEMAIS!!! Minha sugestão é que vc reúna todos os exames que já fez e procure pessoalmente uma segunda opinião, ok?

  7. Olá Drª, gostaria de uma segunda opnião, tive HPV há algum tempo e fiquei boa, mas esse ano fui ao médico e descobri que está novamente manifestado, o médico me disse que é do tipo B e que não restaria nada a fazer a não ser esperar virar um câncer para ser tratado e que seria muito difícil eu engravidar… Estou meio desesperada, pois foi um baque e eu também não sabia desse tipo B do HPV.. Desde já agradeço e aguardo resposta…

  8. O risco de câncer em uma lesão de baixo grau é pequeno mas existe, Aline. Por isso é fundamental fazer o seu acompanhamento com a médica. Quanto a vacina, ela não terá efeito no seu problema atual, mas pode prevenir de uma nova contaminação no futuro, ok?

  9. Não há nenhum remédio que te cure do HPV definitivamente, Luana. Isso depende do seu sistema imunológico, ou seja, das suas defesas. O tratamento é feito nas lesões que o vírus provoca, como a retirada das verrugas, por exemplo. Na homeopatia vc pode encontrar uma chance de aumentar suas defesas e tentar se curar. Mas não esqueça que se não usar camisinha vc pode se contaminar novamente, ok?

  10. É possível sim, Teresinha. Alguns estudos mostram que o HPV pode dar sinais logo nos primeiros 3 meses após o contato, ok?

  11. Dra. tenho lesões de baixo grau do hpv na parede da vagina. A médica disse que é uma lesão muito pequena. Corro risco de desenvolver câncer? Uso uma pomada todo mês para aumentar a imunidade local. É necessário eu tomar a vacina para me proteger? Grata pela atenção e parabéns pelo site, é ótimo!

  12. Jéssica,
    Pelo o que se sabe até o momento, o risco maior de trasmissão do HPV para o bebê é no momento do parto, se a mãe tiver com lesões ativas ou seja, com verrugas na vagina. Ainda não é possível comprovar se o HPV consegue passar pela placenta durante a gravidez e afetar o bebê, ok?

  13. Oi, bom dia! Eu queria saber se tem como eu me curar definitivamente do HPV? Só tenho 18 anos e a minha medica não deu nenhum medicamento, só tirou as verrugas… e uma delas voltou hoje! Quero muito me tratar! Obrigada !

  14. Prezada Dra. Mariana, minha filha tem 18 anos e teve a primeira relação sexual em outubro/09. Em dezembro ela descobriu umas bolinhas na região perianal, levei no ginecologista e confirmou HPV com NIC I, agora eu pergunto: É possivel ter esse diagnóstico em tão pouco tempo de contato com o virus? Estou achando que ela teve relação sexual bem antes de outubro.

  15. Queria lhe parabenizar pelo seu blog…. pois já fiz cauterização por causa do HPV e não queria passar por isso de novo!!! É muito doloroso…. Gostaria de saber se há chances de passar pro bebê???? E quais os riscos se eu engravidar???

  16. Andréa,
    As lesões de baixo grau são provocadas pelo HPV. Não trazem risco de vida para a mulher, mas quem tem deve fazer os exames necessários para confirmar, tratar e depois continuar acompanhando, ok?

  17. Dra. sou mãe e minha filha, acabei de buscar o exame no laboratório deu cervicite crônica com metaplasia escamosa do epitélio colunar no anátomo patológico e no papanicolau deu lesão intraepitelial de baixo grau. Estou desesperada, me oriente. Minha filha corre risco de vida Dra? Pelo amor de Deus estou desesperada.

  18. Sim, Maria, mas o problema é que nem todas as pessoas que tem o vírus apresentam uma lesão visível. Muitas tem o vírus em atividade mas com uma lesão subclinica, ou seja, ela está lá, mas não dá para ver. Por isso, a melhor forma dde se proteger é usando a camisinha em todas as relações sexuais, ok?

  19. Há uns dez anos atrás descobri que tinha hpv, fiz uso de alguns medicamentos e desde então não houve mais a manisfestação do vírus. Gostaria de saber se a transmissão pelo ato sexual só ocorre através do contato com as lesões.

  20. Podem sim, Aline
    As verrugas do HPV podem aparecem e sumir espontaneamente, mas tb podem aumentar de tamanho e em número. Por isso é importante estar sempre atenta e visitar o médico periodicamente, ok?

  21. Eu tive HPV e o médico removeu as lesões, mas elas podem aparecer novamente né?? Quero saber se as lesões podem aparecer e sumir mesmo que não se faça nada. Pode, Dra? Obrigada!

  22. Olá Drica,
    O fato dele trabalhar no hospital não significa que ele tenha se contaminado lá. O HPV é transmitido através do contato direto com a lesão, e a forma mais comum de transmissão é a sexual. Ter o não ter não é o problema, o principal é saber se ele se manifesta e aí é o exame preventivo que detecta, ok?

  23. O HPV pode continuar em vc sem ter nada a ver com a sua condição, Jussara. Também pode sumir, isso depende só do seu corpo, ok?

  24. Há uns doze anos atrás, a ginecologista falou que eu tinha o vírus HPV, porém não lembro do tipo de exame feito na época. Vou ao médico uma vez por ano certinho e sempre falam que o HPV não se manifestou. Devo fazer um exame mais rigoroso? Pois namoro há dois anos e rolou sem camisinha, ele não fez o exame, porém por trabalhar em hospital diz que sabe estar infectado, é isso mesmo?

  25. Eu sou transplantada renal há 10 anos e durante um periodo tive hpv. Tratei, voltei a fazer hemodialise e ele sumiu Corro o risco de ser ainda portadora deste vírus?

  26. O tratamento depende do tipo de lesão que o HPV está provocando, Tânia. Para saber qual o mais indicado é necessário que seu filho procure o Urologista para ser examinado, ok?

  27. Dra.Mariana, meu filho é homossexual e contraiu o vírus HPV, ele tem 21 anos. Qual o tratamento e que especialista procurar?

  28. Não necessariamente, Tatiana. A grande maiora das infecções pelo HPV são transitórias, ou seja, a pessoa se contamina e se cura sozinha. Em outros casos, o HPV pode ficar encubado no corpo, só esperando a hora de aparecer…o mais importante é se cuidar, por isso o preventivo é fundamental, ok?

  29. Olá Marcia,
    NIC 1 é uma das lesões provocadas pelo HPV no colo do útero. Não existe remédio para combate-lo, mas vc deve fazer outros exames como a colposcopia e a biópsia e depois o um acompanhamento rigoroso com o ginecologista, ok?

  30. Não ouço o seu programa sempre porque tabalho domingo também, mas meu marido escuta todos os domingo e elogia muito. A minha pergunta é: HPV é o mesmo que NIC1? Tem cura? me ajude!

  31. Oi Luana,
    Depois da CAF é preciso esperar um tempo até que as lesões provocadas pelo HPV sumam do colo do útero. Durante esse período, de no mínimo 1 ano, vc deverá ser acompanhada pelo ginecologista e fazer exames preventivos a cada 4 meses de controle. O fato do HPV ter sido detectado pelo PCR não significa que ele trará problemas novamente. Converse direitinho com o seu médico para ter todas as informações necessárias, ok?

  32. Parabéns pelo trabalho… fiz uma CAF em dezembro, depois fiz a colposcopia e foi ainda foi constatado o hpv no colo do útero… fiz tb o PCR e acusou hpv 16. O que fazer? Não quero mais fazer nenhuma cirurgia, o que eu quero mesmo é engravidar… me ajude!

  33. Ouço sempre o seu programa na rádio Tupi am e no meu último preventivo foi detectada uma infecção por HPV. Fiquei super assustda já que há 4 anos não tinha vida sexual ativa e depois fiquei sabendo que isso é normal ocorrer em tempos passados. Não sinto nada, não tenho verrugas e nem corrimentos. Meu médico receitou uns óvulos vaginais para serem usados em dias intercalados e me pediu uma colposcopia com biópsia. Fiquei triste pois tenho 37 anos e penso em me relacionar de novo, mas ele me tranquilizou e dise que tudo seria resolvido. Um abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Recentes

WhatsApp chat