Blog

O Que São Miomas Uterinos?

Saiba quais são os sintomas, riscos e quando tratar!

M-I-O-M-A

 

Esse nome parece assustador?

 

Mas você sabe o que é um mioma uterino e o que ele pode provocar? Quais são os riscos? Ele pode crescer? Como tratar?

 

Sei que vocês estão ansiosas pelas respostas, afinal esse assunto é um dos mais pedidos por aqui e nas minhas redes sociais! Quem não se inscreveu no meu canal no YouTube e ainda não me segue no Instagram, aproveita para fazer isso logo depois que terminar de ler esse texto!

 

O mioma uterino – também conhecido como fibroma – é um tumor benigno formado de tecido muscular, mas especificamente a musculatura lisa.

 

Apesar do nome assustador ele é muito mais comum do que se imagina principalmente nas mulheres em fase reprodutiva, ou seja, enquanto ainda menstruam e podem engravidar.

 

Acredita-se que cerca de 80% das mulheres com mais de 30 anos tenham mioma, mesmo sem saber!

Como eles se formam?

 

Essa resposta  é um enigma! A origem desses tumores ainda é desconhecida, mas sabe-se que mulheres de raça negra e com história familiar de mãe e irmã (s) com o problema tem mais chances de desenvolver!

 

Tendências genéticas e fatores hormonais também tem grande influência no aparecimento e crescimentos deles.

Onde se localizam?

 

Os miomas podem aparecer em qualquer parte do útero e dependendo de onde ficam, recebem nomes diferentes.

 

  • Submucosos: ficam dentro da cavidade uterina

  • Intramurais: se desenvolvem na musculatura do útero

  • Subserosos: crescem na superfície do órgão, na sua parte mais superficial

 

A imagem abaixo ilustra o que eu acabei de dizer, dá uma olhada!

O Que São Miomas Uterinos?

Essa informação sobre a localização é muito importante, pois dependendo de onde ele estiver pode provocar mais ou menos sintomas.

 

Falando nisso…

Quais são os sintomas?

 

A maior parte das mulheres com mioma não sente absolutamente nada e só descobrem quando fazem uma ultrassonografia pélvica ou transvaginal de rotina.

 

Quando os sintomas existem, podem estar relacionados ao seu tamanho e localização!

 

Por exemplo: dificuldades para engravidar, aumento do fluxo menstrual com coágulos e do tempo de duração, menstruação irregular, cólica menstrual que aparece do nada ou que aumenta de intensidade repentinamente, todos esses podem ser sintomas de um mioma submucoso, que normalmente é o mais chatinho e que independente do tamanho precisará ser tratado, na maior parte das vezes!

 

Já os miomas subserosos só costumam incomodar quando ficam maiores, pois podem provocar dor ao comprimir órgãos próximos como bexiga e intestino.

 

Os intramurais costumam ser os mais quietinhos e muitas vezes passam desapercebidos, principalmente quando são pequenos!

 

E aproveitando que comecei a falar sobre o tamanho deles…

Os miomas podem crescer?

 

Sim, podem.

 

Apesar disso, no geral eles costuma ter um comportamento estável, crescendo em torno de 1 a 2 cm por ano, quando acontece.

 

Daí a importância de fazer o acompanhamento de forma periódica: pegar os mais engraçadinhos que resolvem crescer de forma inesperada, ainda que benignos! Esses sim, precisarão de uma avaliação mais criteriosa para saber se precisam ou não ser retirados.

 

A boa notícia é que a maioria não tem grandes variações de tamanho e na ausência de sintomas podem ficar tranquilamente onde estão para todo o sempre, amém!

 

Isso porque como eles são alimentados pelos nossos hormônios femininos, quando a menopausa chega eles naturalmente regridem! E é exatamente por isso é não precisamos ser sempre tão radicais no tratamento.

O mioma pode se transformar em câncer?

 

Isso é um evento tão raro que não dá nem para considerar. O importante nesses casos é fazer a diferença entre mioma (que é um tumor benigno na imensa maioria das vezes) e leiomiossarcoma – tumor maligno igualmente feito de musculatura lisa e que também pode crescer no útero.

E sobre o tratamento?

 

Como falei antes, os miomas submucosos costumam ser os que mais provocam sintomas e por isso acabam sendo retirados cirurgicamente, independente do seu tamanho.

 

Para os demais tipos, o tratamento pode ser somente clínico para o controle dos sintomas ou cirúrgico, dependendo do tamanho deles e da idade da mulher.

 

A cirurgia pode ser feita somente para a retirada do mioma – miomectomia – ou então fazer a retirada do útero por completo – histerectomia – que pode ser considerada como primeira opção quando a mulher não deseja mais ter filhos.

 

A embolização é outro procedimento possível, mas nem todo mundo pode ou deve fazer!

 

Como disse antes, na maioria das vezes não é necessário fazer mais nada além de acompanhar! Com a chegada da menopausa eles serão naturalmente “tratados”!

 

Essa é uma das razões para não se indicar cirurgia como tratamento principal para todos os miomas. Em geral, a cirurgia estará indicada para miomas grandes e volumosos ou quando são responsáveis pelos sintomas que não conseguem ser tratados clinicamente.

 

Viram como não é o bicho de sete cabeças que parece? Se você tem mais de 30, converse com seu ginecologista sobre o assunto e fique sempre atenta aos sinais do seu corpo!

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Postagens Recentes

WhatsApp chat