fbpx

Blog

O que são Ovários Policísticos?

Ter ovários policísticos é muito mais comum do que se imagina, mas nem sempre significa problema com o corpo. Quando isso pode se tornar um risco à saúde?

Nos dias de hoje, a ultrassonografia é um exame tão comum que quem ainda não fez, certamente terá uma oportunidade. Isto é particularmente verdadeiro quando se trata do exame ginecológico.

Quase todas as mulheres são submetidas a uma ultrassonografia pélvica ou transvaginal em algum momento de suas vidas.

Esta constante evolução da medicina abriu as portas para o conhecimento e um melhor entendimento de diversas alterações dos órgãos reprodutivos, como por exemplo, os ovários policísticos.

Para quem ainda não sabe, os órgãos reprodutivos da mulher são a vagina, o útero, as trompas e os ovários, como mostra a figura abaixo.

O que são Ovários Policísticos?

Chamamos de ovários policísticos a imagem vista no ultrassom de um ou ambos os ovários com vários pequenos folículos em diferentes estágios de desenvolvimento, em geral, em torno de 10.

Mas, nem todas as mulheres que apresentam estas imagens têm problemas. Na verdade, 20 a 30% das mulheres que apresentam ovários policísticos no exame do ultrassom são completamente normais!

Mas então, onde está o problema?

Está nas mulheres que tem a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP).

A SOP é a alteração hormonal mais comum na mulher, afetando de 6 a 10% das mulheres entre 15 e 49 anos.

Ela não é bem uma doença, é na verdade uma consequência, um reflexo de algum outro problema hormonal que está interferindo direta ou indiretamente na atividade ovariana.

É meninas! Porque nossos ovários trabalham, sabiam? Eles trabalham diariamente, de forma ordenada e cadenciada para que 1x ao mês um ou mais óvulos sejam liberados durante a ovulação no nosso período fértil.

O trabalho dos nossos ovários é ovular! Se existir alguma interferência nesse processo, eles não conseguem trabalhar no ritmo necessário, desencadeando o problema.

Mas então como saber se tenho ou não SOP?

Para ter o diagnóstico de Síndrome dos Ovários Policísticos é necessário mais do que apenas uma imagem no ultrassom. Esse é apenas 1 critério e não fecha diagnóstico sozinho.

É preciso ter no mínimo 2 dos 3 critérios abaixo:

  • menstruações irregulares com menos de 6 ciclos ao ano ou ausente;

  • hiperandrogenismo clínico e/ou laboratorial: traduzindo, é o aumento da acne e dos pelos com aparecimento em locais tipicamente masculinos (rosto, em volta dos seios e na barriga) que pode ser ou não acompanhado do aumento no sangue dos níveis dos hormônios masculinos;

  • imagem no ultrassom compatível com ovários policísticos;

Toda mulher que tem a suspeita ou o diagnóstico de SOP deve fazer exames para buscar ou excluir possível causas do problema, como:

São exemplos de condições que podem levar a SOP e devem ser sempre pesquisadas. Se forem encontradas,  precisam ser tratadas de forma específica.  Isso costuma resolver o problema e os ciclos menstruais voltam ao seu normal.

Mas e aquelas mulheres que pesquisam tudo isso e não encontram nada?

Essas sofrem com a SOP de causa indeterminada, simplesmente por alguma falha de origem desconhecida no sistema de comunicação entre o cérebro e os ovários. É da hipófise – uma pequena glândula que fica dentro da nossa cabeça – que sai a ordem para que os ovários trabalhem.

Esse sistema é de mão dupla e vive de retroalimentação. O cérebro manda a ordem, os ovários recebem e respondem produzindo nossos hormônios (estrogênio, progesterona e testosterona) de forma ritmada e cadenciada durante todo o mês.

Com esse sistema funcionamento normalmente, o cérebro consegue entender quando é preciso mandar uma nova ordem de produção.

Mesmo quando não se encontra o motivo dessa falha de comunicação, a mulher pode e deve receber o tratamento, mas isso vai depender do seu objetivo reprodutivo naquele momento.

Se estiver tentando engravidar, podem ser feitas medicações para induzir ou estimular a ovulação restabelecendo o ritmo mensal natural dos ciclos menstruais, aumentando as chances de gravidez.

Se o desejo de engravidar ficar pra depois, também é importante fazer o tratamento para a regularização dos ciclos, pois a SOP pode ser um fator de risco importante para aumento do colesterol, doenças do coração, pressão alta e diabetes.

Para isso, existem diversas opções de medicamentos que vão desde o uso de anticoncepcionais hormonais, medicações não hormonais para diminuir o excesso de pelos e espinhas até tratamentos mais naturais como o Homeopatia, mas para isso é necessário a avaliação médica individual para saber qual o tratamento mais adequado.

Só o médico pode fazer isso! Não deixe de visitar seu ginecologista regularmente! Fica a dica!

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

8 respostas para “O que são Ovários Policísticos?”

  1. Significa que o corpo está mais resistente a ação da insulina, Gy. A insulina é um hormônio que coloca a glicose para dentro da celula. Se a glicose não consegue entrar na célula ela sobra no sangue e a pessoa pode ter um risco maior de ficar diabética, ok?

  2. Se o seu objetivo é engravidar agora, Karina, então o tratamento deve ser direcionado para isso. Converse com a sua médica sobre as opções existentes, ok?

  3. Olá Doutora, fui diagnosticada com SOP e minha médica indicou um tratamento por 3 meses, após esse período estarei retornando para realizar um US, mas quero engravidar. Existe outra opção para tratar a SOP para mulheres que pretendem engravidar?

  4. Não Michelle,
    A síndrome dos ovários policisticos não é uma doença, e sim uma consequência de algo que está acontecendo com o seu corpo e que precisa ser corrigido. Consulte o seu ginecologista, ok?

  5. O tratamento varia de acordo com a causa, Line. Por isso é fundamental pesquisar outras alterações hormonais que possam levar a síndrome e isso só o seu médico pode fazer, ok?

Os comentários estão desativados.

WhatsApp chat