Blog

3 Mentiras Sobre a Sexualidade Feminina

A sexualidade feminina ainda é cercada de mitos e tabus. Você sabe quais são?

 

Hoje é a vez de falar sobre alguns mitos sobre a sexualidade feminina que a gente conhece muito bem e que de tanto falar, muitos acabam acreditando como se fossem verdades!

Quando mentira é propagada como verdade? Basta lembrar das atuais fake news para entender o que estou dizendo. E o pior é que isso acaba passando de geração pra geração.

Nossos avós ouviram, contaram para os nossos pais e nós crescemos escutando lendas que não tem nada a ver com a realidade!

Eu separei 3 delas para falar aqui pra você. 3 grandes mentiras sobre a nossa sexualidade que você conhece bem e que agora vai entender porque não são verdades absolutas!

 

Vamos lá?

 

“OS IDOSOS NÃO TRANSAM”

 

Quem nunca olhou para os avós e pensou: será que eles ainda transam? Não estão velhos demais para isso?

 

Esse pensamento é bem mais comum que se imagina! Para muitos, como o sexo está associado a capacidade de penetração vaginal,  é comum achar que a pessoa mais velha já “não tem mais idade pra isso”.

 

Ledo engano!

 

Homens e mulheres na idade madura podem ter uma vida sexual bastante ativa. Prova disso é que o número de casos de doenças sexualmente transmissíveis, incluindo o HIV vem crescendo a cada ano nesse grupo.

 

A sexualidade nessa fase da vida não é melhor nem pior, é simplesmente diferente. Ter uma vida sexual ativa e prazerosa não se resume somente a relação pênis-vagina.

 

Claro que não teremos mais o vigor e a disposição da juventude, mas a natureza é tão bondosa conosco que permite vivenciar a sexualidade até o nosso último dia!

 

A capacidade de ter orgasmos é um bom exemplo: ao contrário do que muita gente pensa, ela não acaba e nem diminuiu com o passar do tempo.

 

Às vezes será necessário um estímulo erótico um pouco mais prolongado para a excitação e então chegar ao orgasmo, ou seja, caprichar nas preliminares é a palavra de ordem!

Dica: esse pode ser um bom momento para se explorar pontos eróticos do corpo ainda desconhecidos! Use a abuse dos afrodisíacos! Lembre dos 5 sentidos: Visão, audição, olfato, tato e paladar podem ser um bom ponto de partida!

 

“TRANSAR DEMAIS ALARGA A VAGINA”

Esse é um mito clássico, principalmente entre os homens. A mulher que tem uma vida sexual ativa e que teve mais de um parceiro sexual teria a vagina mais larga do que a mulher que só teve um único parceiro na vida.

Seria algo assim: quanto mais homens você transa, mas larga será a sua vagina.

Pode isso?? Como alguém consegue acreditar em algo assim, minha gente?

Eu já fiz um vídeo sobre isso e está aqui no blog: vagina larga. Terminando de ler aqui, aproveita e vai assistir!

A vagina é um órgão extremamente elástico, que estica e se molda ao que for inserido lá dentro: um dedo, um vibrador, um pênis PP, M, G ou GG. Depois de retirado, ela volta a sua condição normal de repouso.

 

Basta lembrar que passa uma criança por ali de 3kg e 50cm e depois volta tudo ao normal.

Essa situação só se modifica se houver algum dano ou lesão a sua musculatura ou a que a envolve – a musculatura pélvica ou do assoalho pélvico.

 

A foto abaixo ilustra o “mapa” da região:

 

3 Mentiras Sobre a Sexualidade Feminina

 

Como qualquer músculo, o desgaste com o tempo também é possível, mas nada que uma boa “malhação” não ajude!

 

A fisioterapia pélvica está aí para ensinar quem precisa desse fortalecimento!

Então com base nessa explicação acho que ficou claro que o pênis – independente do seu tamanho e calibre – não tem a capacidade de causar nenhum desgaste na região e nem provocar danos a musculatura vaginal ou pélvica.

 

Ou seja, não tem como “alargar” a vagina de forma permanente.

Dito isso, vamos a última mentira de hoje:

 

“É NORMAL SENTIR UMA DORZINHA NA HORA DA RELAÇÃO”

 

Isso eu escuto com muita, muita frequência. Tem muita mulher que acha que é normal sentir um incômodo, uma dorzinha na hora que o pênis começa a entrar na vagina, mesmo que passe logo depois, mas não é não!

 

Não é normal sentir nenhum tipo de dor durante a relação sexual, afinal esse é um momento de prazer e para a maioria das pessoas dor e prazer não se misturam, são incompatíveis.

A hora da penetração não é para ser dolorosa, seja no início, durante ou no final. Exceto se houver algum problema na região, como uma inflamação, irritação ou infecção.

Se você não tem nada de diferente por lá, mas sempre que tem relação sente uma dor para penetrar ainda que seja discreta e passe logo depois, saiba que também existe tratamento para isso!

Você pode sofrer de Vaginismo e até mesmo Vulvodínia sem saber! Passar pela avaliação de um Ginecologista experiente e atento a queixas sexuais é o primeiro passo.

E se necessária, a Terapia Sexual é capaz de tratar e te ajudar muito!

O que não dá é para se conformar com essa situação, porque conviver com esse tipo de dor ninguém merece, não é?

 

 

 

 

 

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Postagens Recentes

WhatsApp chat