fbpx

Blog

Quais os mitos e as verdades sobre o DIU?

Aposto que você já ouviu muita coisa por aí a respeito desses métodos! Mas o que será mito e o que é verdade?

Quem nunca teve filho pode usar DIU?

É comum ele sair do lugar?

Será que O DIU é tão eficaz quanto a pílula?

Dói muito para colocar?

Quais os mitos e as verdades sobre o DIU?

Quem nunca ouviu essas perguntas por aí?

então vamos esclarece-las de uma vez!

Os dispositivos intrauterinos, mais conhecidos como DIUs – tem se tornado cada vez mais populares, mas seu uso ainda é cercado de mitos e dúvidas….

Em busca de uma vida livre de hormônios, muitas mulheres tem buscado conhecer mais sobre esses métodos anticoncepcionais altamente eficazes e bastante práticos, pois afinal de contas, funcionam independentemente de você!

Ou seja, não precisam que você lembre de tomar ou usar para fazer efeito!

Esse é o principal problema da pílula e de outros métodos hormonais que precisam de você, da sua lembrança, para funcionar!

Alias, fazer o efeito contraceptivo de forma independente é uma caraterística dessa classe de métodos anticoncepcionais, conhecida como LARCs – sigla em inglês para contraceptivos reversíveis de longa duração.

São eles:

  • DIU de cobre

  • SIU (ou DIU) de hormônio

  • Implante subdérmico.

Sua duração varia de 3 anos – como é o caso do implante e de alguns tipos de DIU de cobre ou hormonio -, 5 anos – como o DIU de hormônio padrão e alguns modelos do de cobre –  e até 10 anos, tempo máximo de validade do T de cobre padrão.

Nesse vídeo de hoje, vou falar apenas sobre os DIUs e deixar o implante para outro momento!

A pergunta campeã quando o assunto é DIU é:

Quem nunca teve filho pode usar?

Sim, pode sim.

Em 2016, a Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, lançou um manual com uma série de recomendações e orientações para os profissionais de saúde, que derrubou muitos desses mitos lendários que há décadas são atribuídos os DIUS.

Uma das preocupações que levavam e ainda levam até hoje muitos profissionais a contraindicarem o uso do DIU por uma mulher que nunca teve filhos, é o risco do desenvolvimento da doença inflamatória pélvica e causa importante de infertilidade na mulher.

Por conta disso, tem muito ginecologista que ainda contraindica o uso do DIU se a mulher nunca teve filhos ou não tem parceiro fixo, o que também, vamos combinar nunca foi garantia de proteção contra nenhuma DST.

Atualmente, diversos estudos mostram que a presença do DIU em si não aumenta o risco de ter uma doença dessa.

Se a mulher for contaminada por uma doença sexualmente transmissível, tipo clamídea ou gonorreia, essas sim as principais causadoras da doença inflamatória pélvica, o risco existe, é real e independe da presença ou não do DIU.

Liberte-se da Dor na Relação Sexual: A Cura do Vaginismo ao Alcance da Sua Mão – Baixe meu Ebook agora!

Técnicas Avançadas para Conseguir (ou Turbinar) o Orgasmo – Garanta meu treinamento online agora!

Expulsar ou deslocar o DIU não é algo comum acontecer, principalmente se o DIU escolhido for compatível com o tamanho uterino.

É verdade que para quem nunca teve filhos, existe uma chance um pouco maior de expulsão nos primeiros 6 meses após a inserção, por isso é que super importante estar sempre em contato com o seu médico e fazer as consultas de revisão conforme orientação do profissional!

Será que dói muito pra colocar?

Bom não vou enganar ninguém aqui e dizer que é super tranquilo e fácil inserir o DIU no consultório porque isso não é verdade, pelo menos não para todas as mulheres.

Tem umas que sentem mais dor outras menos, e isso depende mesmo é do limiar de dor de cada uma.

A minha sugestão é sempre a seguinte: se você sabe que é mais fraca pra dor, então é bom se informar bem sobre o procedimento e quais as opções que você pode ter para minimizar a dor na hora da colocação.

O que não é legal é você ser pega de surpresa na hora, afinal isso não é para ser uma sessão de tortura!

A lista de contraindicações é pequena, tanto para o DIU de cobre quanto para o de hormônio.

Gravidez em curso, infecção pós parto ou pós aborto, anormalidades uterinas, miomas que afetam a parte mais interna do útero, câncer de colo de útero, presença de DST, AIDS avançada, são alguns exemplos.

No caso especifico do DIU de hormônio, o antecedente pessoal de câncer de mama é contraindicação formal ao uso.

Mulheres com história familiar da doença tem contraindicação relativa e devem ser avaliadas quanto ao risco e beneficio.

Quanto a eficácia, todos são muito parecidos: 99,9%, 99,8% de proteção.

Como falei antes, como funcionam independentemente da sua vontade ou lembrança, são até mais eficazes do que a pílula e outros métodos hormonais quando falamos do uso típico, aquele do dia-a-dia, por que para esses métodos funcionarem direito é preciso contar com a sua ação.

E isso pode ser um problema para muitas mulheres.

Portanto, minha amiga, conte sempre com a ajuda do seu ginecologista de confiança para te ajudar nessa decisão!

Se não concordar com a postura do profissional, busque uma segunda opinião.

O mais importante é você poder tomar a sua decisão com a orientação e a informação correta e atualizada!

Sente dor para iniciar a penetração vaginal? Baixe meu Ebook agora!

Gostaria de Turbinar o Orgasmo? Garanta meu treinamento online agora!

 

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email
WhatsApp chat