fbpx

Blog

Quais os Cuidados Necessários no Sexo entre Mulheres?

Sabia que a relação sexual entre as mulheres também precisa de proteção?

E atenção meninas, para o que eu vou dizer agora porque é muito importante: se você for uma mulher que gosta de transar com outras mulheres – não necessariamente de forma exclusiva, pode gostar de homens também ou já ter transado com algum – sabia que a relação sexual entre mulheres também precisa de proteção?

 

Pode parecer meio óbvio para algumas, mas para outras não. Por mais que o risco de engravidar seja zero, a relação sexual entre mulheres também deve ser feita com proteção, ainda que você esteja em uma relação monogâmica.

 

E sabe por quê?

 

Muitas mulheres que fazem sexo com mulheres acreditam que, por não acontecer necessariamente a penetração vaginal ou anal e ficarem somente nas carícias, toques, sexo oral e fricção entre suas vulvas e vaginais, que estarão menos vulneráveis a contaminação pelas doenças sexualmente transmissíveis.

 

Só que isso não é verdade!

 

Foi exatamente isso o que o Boletim Epidemiológico HIV AIDS 2018 mostrou: o Brasil vive uma nova epidemia do vírus a AIDS entre os jovens de 19 a 24 anos!  A pesquisa também mostra um aumento significativo de doenças como a gonorreia e a sífilis.

 

HIV, HPV, herpes, gonorreia e sífilis são exemplos de DST´s que podem ser transmitidas através do sexo oral, uma prática comum e corriqueira no sexo entre elas.

 

Isso sem falar naquelas que compartilham vibradores e dildos – um tipo de prótese com textura, formato e consistência semelhante a um pênis – sem proteção com outras mulheres e acabam expostas a contaminação por uma DST.

 

Eu sei que falar sobre isso pode não ser nada fácil, meninas, nem mesmo com o Ginecologista, por incrível que pareça.

 

Muitas não se sentem à vontade para falar sobre sua orientação ou preferências sexuais com o seu médico, ficam sem graça ou são mais tímidas.

 

Às vezes, o próprio profissional não dá muita abertura para esse tipo de conversa, não pergunta diretamente e ainda acaba pressupondo uma heterossexualidade que não existe!

 

Tudo fica mais difícil!

 

Já ouvi diversos relatos das minhas clientes que gostam de transar com outras mulheres sobre o quanto é difícil se sentir à vontade para falar sobre isso com alguns médicos.

 

Reclamam que a consulta costuma ficar em torno da contracepção, sobre o método ela usa e se diz que não usa tenta induzi-la a escolher algum sem antes perguntar se ela precisa ou não!

 

Em alguns casos, chegam a tratá-las como virgens e nem examinam! Pode isso?

 

A dificuldade em abordar e falar abertamente sobre a vida sexual dessas mulheres, pode dificultar muito na hora de orientar e informar sobre os cuidados que elas precisam ter com a saúde. E não é só sobre DST que eu falo não!

 

A consulta ginecológica também serve para isso! Você não precisa ir ao médico só para resolver questões sobre sua vida sexual e prevenção de DST.

 

Todas nós mulheres – homo, bi ou heterossexuais – também precisamos colher um preventivo, fazer um exame clinico das mamas, além de outros exames como a mamografia (se já tiver idade pra isso), a ultrassonografia, exames de sangue e o que mais precisar de acordo com a avaliação médica.

 

Não dá para esquecer que mesmo que goste de transar com mulher, você continua sendo mulher com corpo de mulher!

 

Ou seja, existem algumas condições e doenças ginecológicas – como a endometriose, câncer de mama, de colo de útero, miomas e pólipos uterinos –  que não estão nem aí para a sua orientação ou preferência sexual. E podem pegar você de jeito!

 

Mas voltando ao nosso assunto – os cuidados necessários no sexo entre as mulheres – darei algumas dicas pra você anotar e colocar em prática! E é pra já!

 

  • Na hora da relação, usar a camisinha feminina ainda tão pouco falada hoje em dia pode ser uma ótima opção de proteção, tanto na hora da penetração com o dedo, dildo ou vibrador, como também para o sexo oral;

  • Fazer um recorte retangular na camisinha masculina ou então em um papel filme (daqueles de cozinha) para colocar na frente da vulva na hora do oral, também é uma opção adaptada;

  • Uso de dedeiras ou luvas de látex para os carinhos mais íntimos na vagina ou no ânus;

  • Ao compartilhar dildos ou vibradores com sua parceira, não esqueça de colocar a camisinha e troca-la antes de passa-lo para a outra!

  • Ah! E deixe sempre as unhas bem aparadas, para não machucá- la! Lembre-se que o contato direto com o sangue pode aumentar a chance de contaminação por uma DST

Com esses cuidados, você pode curtir muito mais e se entregar ao prazer junto com quem escolheu para estar ao seu lado!

 

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email
WhatsApp chat